segunda-feira, 14 de março de 2016

Inocêncio III: cruzada contra os heréticos catáros

Inocêncio III, Subiaco, Itália.
Inocêncio III, Subiaco, Itália.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Quando o Papa Inocêncio III, subiu ao trono, encontrou que a heresia maniquéia invadira todo o sul da França, o norte da Itália, penetrara nos próprios Estados Pontifícios.

Era também conhecida como heresia cátara ou albigense.

Havia cidades que dependiam politicamente do Papa, dentro dos quais essa heresia estava absolutamente difundida.

Cerca de 1000 cidades declararam-se oficialmente maniquéias. Sobretudo no sul da França, os nobres e os clérigos eram maniqueus.

E dentre os nobres, entre os maiores senhores havia precisamente a maior proporção de maniqueus.

Qual foi a atitude de Inocêncio III?

Logo que subiu ao trono, redigiu um documento sobre os maniqueus, com alguns dos apelativos:
– gangrena que ataca as carnes ainda sadias;
– escorpiões que mordem com veneno de perdição eterna;
– gafanhotos ocultos na poeira e perdidos no meio de incontáveis vermes;
– gente que apresenta o veneno das serpentes na taça áurea de Babilônia;
– servos da perversidade diabólica.
– em relação aos cátaros e valdenses, os maniqueus eram com as raposas de
Sansão, de raça diferente mas ligadas pela cauda; todas colaborando contra a
Igreja Católica.



Imoralíssimos cátaros expulsos pelos Cruzados anti-albigenses. As Cruzadas
Imoralíssimos cátaros expulsos pelos Cruzados de suas cidadelas.
Depois dele ter exortado contra o maniqueísmo, ele convocou uma Cruzada, soltou os cruzados para derrotar os cátaros, que de fato acabou com eles.

Com sua linguagem e uma atitude dessas ensinou o horror ao mal.

Ele censurava o clero que não combatia o maniqueísmo como devia combater. Suas expressões eram:
“Vós tomais lã e leite das ovelhas, em vez de combater o lobo; vós não servis de muralha contra o inimigo, pois fugis de medo. Por vossa mania de presentes, justificais os ímpios deixando-vos corromper por eles”.

Um bispo escreveu a ele dizendo que era muito duro lutar contra os hereges e pedia demissão por isso. Ele aceitou a demissão e nomeou outro.

Esta atitude contra os maniqueus naturalmente atraiu a irritação de muitos historiadores.

Enérgico só com os ruins? O mais interessante é quando se é enérgico com os bons.

Monsegur, último castelo cátaro tomado pelos Cruzados no sul da França.
Monsegur, último castelo cátaro tomado pelos Cruzados no sul da França.
Em plena Cruzada, Inocêncio III recebe a comunicação de que os cruzados haviam atacado uma cidade católica, pertencente ao rei da Hungria. Qual a atitude do Papa?

“Satanás vos impeliu a voltar as vossas primeiras armas contra um povo católico; vós oferecestes ao demônio as premissas de vossa peregrinação. Não dirigistes vossos passos no rumo de Jerusalém, não descestes no Egito.

“Deveríeis, pelo menos, terdes dominado melhor nesse empreendimento criminoso, pelo respeito que deveis à Cruz que trazeis e pela consideração que mereceria o rei da Hungria e seus irmãos, e pela autoridade da Santa Sé que vos tinha dado ordens precisas a esse respeito.

“Nós vos exortamos a não levar mais longe essas abominações, e a restituir todo o produto de vosso saque aos delegados do rei da Hungria. E se assim não fizerdes lançaremos contra vós a excomunhão, nós vos declaramos decaídos de todo os benefícios da Cruzada”.

Simão de Montfort, conde de Leicester, filho do chefe da Cruzada contra os cátaros. Reconstituição hodierna. As Cruzadas
Inocêncio III dardejou contra eles essa comunicação violenta. Qual foi a atitude deles? Rumaram para Jerusalém ou para o Egito, e mandaram uma delegação pedir desculpas ao Papa!

A sensibilidade das almas medievais explica a cordura episcopal na Idade Média

Ela explica o aparecimento de bispos de uma cordura tão grande dentro do período medieval. A cordura deles parece ser o contrário da combatividade.

Mas acontecia que as almas eram tão tocáveis em muitos lugares que o Papa e a Igreja podiam agir com elas desse modo.



GLÓRIA CASTELOS CATEDRAIS ORAÇÕES HEROIS CONTOS CIDADE SIMBOLOS
Voltar a 'Glória da Idade MédiaCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.