terça-feira, 14 de maio de 2013

Excerto nº 2 : O grande luto pela morte de Roland

Fonte de Roland, Bremen, Alemanha
Roland, Bremen, Alemanha.
Ouça o início

Excerto nº 2 : O grande luto pela morte de Rolando


(continuação) O combate é tremendo. Os francos lutam muito unidos e causam imensas perdas aos muçulmanos.

Mas, um a um vão caindo.

Fica só um punhado de heróis. Eles vão morrer.

Entrementes, simbólicos sinais da tragédia aparecem no céu da França.

Clique para ouvir :

II

Le combat est merveilleux et pesant.
A batalha é maravilhosa e pesada,

Moult bien y frappent, Olivier et Roland,
Muito bem golpeiam Olivier e Roland,

Le douze pairs ne retardent néant,
Os Doze Pares não perdem tempo,

Et les Français frappent communement,
E os franceses golpeiam todos juntos;

Meurent païens, milliers et cents !
Morrem os pagãos aos milhares e centenas:

Qui ne s’enfuit n’a pas d’autre garant,
Quem não foge não tem quem o salve.

Qu’ils veuillent ou non, Ils y laissent son temps.
Bom grado, mau grado, aí terminam seus dias.

Français y perdent leur meilleur gardements,
Mas os francos perdem seus melhores defensores.

Ne reverront ni pairs ni parents,
Eles não voltarão a ver nem os pais, nem os parentes,

Ni Charlemagne, qui au col les attend.
Nem Carlos Magno, que nas montanhas os aguarda.




Estátua de Roland, portal da catedral de Chartres, França
Roland, catedral de Chartres
III

En France il y a moult merveilleux tourments,
Na França há muitas espantosas tormentas;

Voici qu’il y a du tonnerre et du vent,
Eis que há trovão e ventania,

Pluie et grésier, tout démésurément,
Chuvas e granizos, caem todos desmedidamente;

>Foudre tombant est menu souvent.
Caem os raios em grande intensidade.

Et tremblement de terre, voirement,
E tremores de terra os há verdadeiramente.

Du Saint Michel du Péril jusqu’aux Saints,
De Saint Michel du Peril até Saints,

De Besançon jusqu’au port de Wissant.
De Besançon até o porto de Wissant,

Nulle maison de ses murs ne crevant,
Não há casa que por algum lado não desabe.

En plein Midi, tenèbres y a grand,
Até no extremo sul da França há grandes trevas,

Nulle clarté sauf du ciel qui se fend,
Não há claridade, salvo quando o céu fulmina seus raios.

Nul ne le voit que moult ne s’épouvant,
Ninguém vê isso sem ficar muito apavorado.

Disent plusieurs : C’est le finissement,
Muitos dizem: "É o fim de tudo,

La fin du siècle qui nous est à présent.
O fim do mundo que se nos apresenta".

Ils ne le savent ni disent vrai néant,
Eles não sabem nem dizem a verdade:

C’est le grand deuil pour la mort de Roland !
É o grande luto pela morte de Roland!

Continua em 3º : Os francos lutam epicamente mas vão sendo massacrados



GLÓRIA CASTELOS CATEDRAIS ORAÇÕES HEROIS CONTOS CIDADE
Voltar a 'Glória da Idade MédiaCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVAL

Um comentário:

  1. Amo a Idadew Média, a sua Culltura, a sua Literatura.
    Acho muito interessante este blog.

    Parabéns.
    Estou neste momento a construir um pequeno site tratando destes e de outros temas e estou a pensar, num fururo próximo, em realcionar as Canções de Gesta e a figura de Carlos Magno com a Literatura Tradicional Oral, o Romanceiro e, neste, o Ciclo de Carlos Magno. Quando abrir o site postarei nele um link para aqui, espero que se nº
    ão imprte!.
    Clara

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.