segunda-feira, 30 de maio de 2011

Os turcos contra-atacam: conciliábulos muçulmanos. Primeira parte: entre os chefes turcos ‒ Gesta Dei per Francos 13





Algum tempo antes, Cassiano, Emir de Antioquia, tinha enviado uma mensagem para Curbara, chefe do Sultão da Pérsia, enquanto ele ainda estava na Chorosan, para vir ajudá-lo enquanto ainda havia tempo, porque um poderosíssimo exército de Francos tinha sitiado Antioquia.

Se o Emir o ajudasse, ele (Cassiano) lhe daria Antioquia, ou o enriqueceria com um dom muito grande.

Como Curbara tinha, há muito tempo, reunido um enorme exército de Turcos, e tinha recebido permissão do Califa, o seu papa, para matar os cristãos, ele começou uma longa marcha para Antioquia.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Conquista de Antioquia ‒ Gesta Dei per Francos 12





Não posso enumerar todas as coisas que fizemos antes da cidade ser tomada, porque não há absolutamente ninguém nestas regiões, quer seja clérigo ou leigo, que possa escrever ou relatar como as coisas aconteceram. Entretanto, vou dizer um pouco.

Havia um certo Emir da raça dos Turcos, cujo nome era Pirus [Firuz], que tornou-se grande amigo de Boemundo.

Através de um intercâmbio de mensageiros, Boemundo muitas vezes pressionava este homem para recebê-lo dentro da cidade da forma mais amistosa possível e, depois de prometer a ele o Cristianismo mais abertamente, mandou dizer que o faria rico, com muitas honras.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Os sofrimentos dos Cruzados em Antioquia ‒ Gesta Dei per Francos 11





Aconteceu em Antioquia que os grãos e os alimentos começaram a ser excessivamente caros antes da Natividade do Senhor.

Não nos atrevemos a ir para fora; não poderíamos encontrar absolutamente nada para comer dentro da terra dos Cristãos, e ninguém se atrevia a entrar na terra dos Sarracenos sem um grande exército.

Na última convocação de uma assembleia, os senhores decidiram como eles poderiam cuidar de tantas pessoas.